sábado, outubro 31, 2009

Uma viagem de cliché


Apanhei hoje um táxi em Alfornelos (*), mas o que me saiu na rifa foi um cliché. Unhaca do mínimo protuberante, camisa arejada na peitaça peluda (nada de mariquices à jogador de bola), e a intolerável mania de meter conversa com o passageiro. Só lhe faltava o bigode e o Salazar-a-cada-esquina. E claro, lampião. No curto trajecto entre Alfornelos e o Campo Grande, fiquei a conhecer muitas das suas peripécias no Estádio do Galinheiro. Eu ia grunhindo monossílabos enquanto entornava os olhos na janela, a rezar aos meus deuses agnósticos para a viagem terminar depressa nem que fosse por causa de um furo ou de um buraco que se abrisse e nos engolisse. Mas o pior, senhores, o pior foi quando percebi que me tomou por lampião, e desatou a falar mal da "lagartagem" e dos "tripeiros", com piscadelas cúmplices pelo retrovisor, a que eu respondia com o ar mais agoniado que me foi possível. Ainda tentei ostentar assim uma pose intelectual e digna, de modo a desfazer o equívoco, o que no meu caso é quase tão difícil como armar-me em másculo marialva. Mas nada. À medida que íamos circulando pela 2.ª dita cuja a confiança ia aumentando numa proporção que acompanhava a fúria com que eu vomitava os olhos pela janela. Ainda pensei em desfazer o equívoco assumindo-me, mas receei represálias, e tinha mesmo de apanhar o autocarro - ia ao lançamento de um livro, coisa tremendamente intelectual, mas que pelos vistos não transpirou o suficiente. Quando finalmente aterrámos diante do Estádio de Alvalade, rosnei um boatardecomlicença, enfiei-me no autocarro, fui ao lançamento do coiso, e agora estou há horas numa angústia tremenda, a ir regularmente prantar-me diante do espelho à procura de qualquer coisa, qualquer sinal, sei lá, qualquer trejeito (será do meu ar efeminado?! Eu até pus muita colónia hoje.) que tenha levado o taxista a nem sequer hesitar em me tomar por lampião.



---
(*) Normalmente ando a pé ou de transportes públicos, o que me permitiu perder quatro dezenas de quilos em poucos anos, e ter análises "de fazer inveja" (médico de família dixit). Também me permite correr 10km dia sim dia não, sem grandes dramas, coisa que parece que deixa rapazes profissionais com metade da minha idade fora de combate. Mas hoje arriscava-me a perder o autocarro e assim chegar atrasado a um compromisso.

1 comentário:

pink poison disse...

gosto da tua músoca, do fluir das tuas palavras,...beijo