quinta-feira, agosto 06, 2009

À vontadinha

P6160012

Ontem levei, excepcionalmente, o carro para Lisboa (como não sou rico, e tenho algumas preocupações ambientais, vou sempre de autocarro), por motivos que não interessam para o caso. Ia estacionar em frente à FLUL, e olhei a ver se tinha alguma coisa de valor à vista. Por momentos achei que era arriscado deixar o "Ulysses" ali no porta-luvas, ao léu. Mas depois bati na testa e pensei que na FLUL a reacção mais normal a um livro, sobretudo se for bom, é mais de fuga do que de tentação para roubar. E fui-me embora descansado.

3 comentários:

Anactório disse...

Eu já vi pessoas na FLUL com o Rio das Flores na mão. A faculdade devia ter um polícia de leituras. :D

André . أندراوس البرجي disse...

E um colega meu já viu uma aluna na livraria a comprar a Odisseia do João de Barros em vez da tradução do Frederico, alegando que a história é a mesma e sempre fica mais barato.

Cátia Margarida disse...

apesar de não partilhar da opinião do senhor de cima, que nada tenho contra o Rio das Flores, e acho que podemos encontrar bons livros em sítios inesperados. o certo é que não pude de sentir uma verdadeira gargalhada a formar-se, porque a ideia de roubar livros é sempre tão bonita dentro de mim, se eu pudesse, eu roubava todos os dias, mas nunca o fiz. talvez um dia.